quarta-feira, 9 de junho de 2010

Eu queria morrer só um pouquinho...



" A gente tem que morrer tantas vezes durante a vida que eu já tô ficando craque em ressurreição. Bobeou eu morrendo. Na minha extrema pulsão, na minha extrema-unção, Na minha extrema menção de acordar viva todo dia. Há dores que sinceramente eu não resolvo, sinceramente sucumbo. Há nós que não dissolvo e me torno moribundo de doer daquele corte do haver sangramento forte que vem no mesmo malote das coisas queridas, vem dentro dos amores, dentro das perdas de coisas antes possuídas dentro das alegrias havidas. Há porradas que não tem saída, há um monte de 'não era isso que eu queria'."


**

6 comentários:

armalu disse...

Morremos cada dia um pedacinho, para no outro dia reviver com mais força rsrs.bj

Josi Puchalski disse...

Texto intenso com cara de Caio F. Abreu. É necessário morrer pra viver mais, é preciso deixar para as nossas costas para podermos ver ao longe.

Beijo

Monitora Educacional APE disse...

Não sei se lembra de mim, Laís!! Bem, to no seu orkut ainda acho, mas faz um tempo que não nos falamos... Como vc está???

Tb tenho um site de abelhinha (AB') rsrs, além do blog aqui no blogspot, que é do meu trabalho.

Bjs
(SITE) http://travessao.webnode.com.br

Monitora Educacional APE disse...

Ass: Nati Bonfim.

Rogério disse...

já tô ficando craque em ressurreição. Bobeou eu tô morrendo.

Perfeito...

Muita sutileza simplório e tocante não que eu seja exageradamente emotivo mas meche com a gente meus parabens...

Que seja doce...

Quanto a relacionamentos seram sempre assim uns doando de mais outros de menos... Anraços.

Joey Kinser Introspeto Exposto (blogspot) Rogério

Divagações de uma Tagarela disse...

Ando assim últimamente...

Adorei seu blog virei mais vezes aqui.